#ID97 – Dúvida cruel, quais instrumentos comprar?

Tempo de leitura: 2 minutos

Transcrição do vídeo

E quando você vai comprar os instrumentos para trabalhar com as resinas compostas e se vê diante daquele mundo de possibilidades o que você escolhe? escolhe pela forma, pelo preço ou porque alguém indicou e depois que compra nem sabe mesmo onde usar. Se você quer deixar esse momento de escolha mais simples fique aqui comigo que é sobre isso que vou falar hoje.

Olá eu sou Dulce Simões do Inspirando Dentistas e se está aqui pela primeira vez vai lá no nosso site inspirandodentistas.com.br e assine a nossa lista VIP para começar a receber nossos emails. Se você está vendo pelo YouTube e ainda não está inscrito no canal, faz logo aqui abaixo sua inscrição e marca no sininho para receber a notificação toda vez que postarmos um vídeo novo.

Primeira coisa que eu tenho para te dizer é que no meu mundo o menos é sempre o que prefiro. Odeio aquele negócio de ficar trocando de instrumento, usando mil e um tipos. Vamos ser objetivos e práticos. Uso basicamente 3 tipos de instrumentos e não vou te falar de numeração vou te falar de formas. 
Se estou trabalhando na região anterior, fazendo uma faceta ou uma classe IV uso basicamente esse tipo de instrumento. Com esse lado eu coloco o material em posição e pode ser nesse caso aqui onde estou fazendo a barreira palatina ou no próprio dente. E com esse outro lado vou adaptando a resina ao dente, sempre de forma tranquila e sem pressa. Gosto dessa espátula mais larga pois não marca a resina. Posso usar esse outro tipo aqui? Sim, claro que pode e são excelentes mas eu basicamente uso pouco. Lembra do objetivo do nosso projeto? Simplificar a sua vida. Simples mas com qualidade.
Mas existem outras situações em que esse tipo de instrumento não serve, por exemplo quando vou restaurar cavidades em forma de caixas. Se a minha restauração tem caixa, tipo classe III, V ou nos posteriores uso instrumentos que tenham um lado de condensador.
Outro instrumento que uso bastante é o brunidos número 6 para fazer mamelos nos anteriores ou fóssulas na região posterior e uma sonda exploradora bem fina para fazer os sulcos. Pronto, só isso.
Detalhes importantes: Existem como em tudo os instrumentos melhores, por serem mais delicados, mais flexíveis ou rígidos de acordo com a necessidade do momento, e por conseguirem, através de angulações específicas alcançar área que não conseguiríamos com outros instrumentos. 
Conselho: invista em bons instrumentos e cuide deles. vai valer a pena.

Gostou desse vídeo? Se te ajudou coloca um like e manda para o coleguinha que você acha que vai gostar. Vamos compartilhar conhecimento, discutir e crescer afinal esse é o propósito do inspirando dentistas. E não deixe de nos acompanhar nas nossas redes sociais, instagram, facebook, podcast e youtube. E saiba que de onde veio esse vídeo tem muito mais.

Beijo grande e te vejo no próximo.

Deixe seu Comentário