ID#77 – Como fazer reanatomização de pinos de fibra de vidro

Tempo de leitura: 4 minutos

Transcrição do vídeo

Olá, se você não me conhece ainda eu sou Dulce Simões e faço vídeos semanais com o objetivo de compartilhar conhecimento e facilitar sua vida clínica.

No nosso vídeo ID71 eu comentei sobre as resinas usadas para fazer reanatomização de pinos de fibra de vidro e recebi uma enxurrada de mensagens pedindo para que eu detalhasse melhor essa técnica e aqui vai o nosso último vídeo do ano, um pouco mais longo e é o meu presente para todos vocês que nos acompanha e que participa ativamente do Inspirando dentistas.

E vamos lá falar nesse vídeo de reanatomização dos pinos de fibra de vidro. Esse procedimento é importante em que situações? na grande maioria dos casos usamos essa técnica em dentes tratados endodonticamente que apresentam raízes fragilizadas. mas podemos empregar ainda quando os  canais são amplos ou ovóides.  
 
Com essa técnica nós vamos conseguir uma melhora significativa na adaptação e na retenção dos pinos de fibra. 
 
E como vamos fazer isso? Vamos aplicar uma camada de resina composta sobre a superfície do pino para copiar o formato adequado do canal radicular. Isso é super importante para que o pino de fibra reproduza a morfologia do canal radicular do dente que irá receber a futura restauração e dessa forma fique bem ajustado e consequentemente com uma camada fina e uniforme de cimento resinoso. 
 
A diminuição da espessura da linha de cimento vai criar uma uniformidade na distribuição das forças transmitidas ao dente, vai ainda reduzir o efeito de contração de polimerização do material resinoso, bem como diminuir o número e dimensão das bolhas dentro do próprio cimento resinoso.
 
Tudo bem até aqui? Ok já sei você quer saber como fazer. E é isso que vou te mostrar agora mesmo. É super fácil. Vamos lá?
 
Depois de removida a guta-percha com as brocas largo fazemos a seleção do pino que mais se ajuste ao diâmetro do conduto. E a partir daí vamos fazer a modelagem do conduto.
 
 

Mas vamos or partes para ficar tudo muito claro para você. Primeiro vamos fazer o tratamento da superfície do pino que foi escolhido. esse tratamento na verdade é uma limpeza, vamos desengordurar o pino que está sendo bem manuseado. Essa limpeza pode ser feita de duas formas: com álcool ou com ácido fosfórico. Se fizer com álcool apenas seca depois e se fizer com ácido fosfórico você lava bastante para remover completamente esse ácido. lava e seca 

E em seguida aplica o silano. Aguarda a completa evaporação do solvente. Após o silano aplicamos o adesivo. Tem quem questione a aplicação do adesivo ou nem use. Esse passo fica a seu critério. Eu gosto de usar. Passo o adesivo e polimerização esse adesivo.

Pronto. O pino está pronto e vamos agora isolar o canal radicular com um gel lubrificante hidrossolúvel como está sendo mostrado aqui. Use um aplicado fino próprio para canal para não correr o risco de ficar alguma área sem esse lubrificante.  

Feito isso vamos colocar uma fina camada de resina composta envolvendo o pino, modelando e em seguida vamos posicionar o conjunto no interior do conduto. Feito isso fazemos a fotoativação inicial através do pino de fibra de vidro. O pino é então removido do canal radicular e fazemos a fotoativação  complementar. 

Agora fica mais fácil pois recolocamos o pino personalizado no canal radicular e confeccionamos o núcleo de preenchimento com resina composta.

Simples assim. Agora é só remover o conjunto e fazer a cimentação adesiva.

Espero sinceramente que esse vídeo tenha esclarecido algumas dúvidas e que o Inspirando dentistas possa ter te ajudado nesse ano que passou. Se realmente isso aconteceu deixa aqui abaixo o seu comentário contando um momento que isso aconteceu. Será muito gratificante saber de cada um de vocês.

E se você gostou coloca um like e compartilhe. faça com que outros colegas conheçam o nosso trabalho e que essa corrente seja ainda muito maior no próximo ano.

Um beijo grande e nos veremos em breve.

Deixe seu Comentário