ID#101 – Clareamento Dental, qual mesmo escolho?

Tempo de leitura: 4 minutos

Transcrição do vídeo

Embora todo mundo hoje faça clareamento, ainda existem muitas dúvidas quanto ao assunto. Dúvidas quanto a melhor técnica, dúvidas quanto ao melhor material, quanto ao tempo de aplicação e algumas outras. Uma das confusões que percebo de forma recorrente é quanto ao desconhecimento da diferença entre o peróxido de carbamida e peróxido de hidrogênio. Se isso também parece meio confuso para você, fique aqui comigo, esse é nosso assunto de hoje.

Olá, se você está chegando aqui agora e ainda não me conhece. Sou Dulce Simões do Inspirando Dentistas e antes de tudo já quero te convidar a conhecer o nosso site inspirandodentistas.com.br e assinar a nossa lista VIP para começar a receber nossos emails. E depois disso passe a abrir nossos emails, pois enviamos muita coisa boa por lá, apenas para os colegas que fazem parte dessa lista. Por isso é tão importante você se inscrever. E, se você está vendo pelo YouTube e ainda não está inscrito no canal, faz logo aqui abaixo sua inscrição e marca no sininho para receber a notificação toda vez que postarmos um vídeo novo.

Sim, já sei que tem gente do outro lado reclamando dos avisos e querendo apenas as informações. Calma, vamos a elas então.

Vamos começar entendendo essa duas substâncias e como o clareamento acontece. 

O clareamento ocorre como resultado de uma reação química promovida pelo oxigênio livre. Esse oxigênio livre vai quebrar as moléculas de pigmentos, que são moléculas grandes e de alto peso molecular, em moléculas menores dentro da estrutura dental (esmalte e dentina). Em tamanhos menores, essas moléculas permitem maior reflexão de luz e o dente aparenta mais claro. Dessa forma, o ativo final que promove o clareamento dental é o oxigênio. 
Esse oxigênio vai ser veiculado de duas diferentes formas para poder clarear os dentes: através do peróxido de hidrogênio ou através do peróxido de carbamida. Quando você emprega o peróxido de hidrogênio esse se degrada em oxigênio e água. Olha o oxigênio aí.
Quando você usa o peróxido de carbamida ele se degrada em peróxido de hidrogênio e uréia, e o peróxido de hidrogênio por sua vez se degrada, como já vimos em oxigênio e água. Ou seja, tudo acaba em samba, aliás em oxigênio. Brincadeira para relaxar essa história comprida.
A questão é a seguinte! Quando você emprega o peróxido de carbamida a 10% você tem uma degradação de peróxido de hidrogênio a 3% e o restante é uréia. Ou seja, preste atenção as diferenças de concentrações dos materiais e entenda os diferentes tempos de aplicação exatamente em decorrência dessa diferença.
Assim, já vi gente achando que peróxido de hidrogênio a 7,5% é mais seguro que peróxido de carbamida a 10%. isso porque se fixou nos números e não nos materiais. E talvez até desconheça esses detalhes. Vamos entender melhor essa continha. Se você está empregando peróxido de hidrogênio a 7,5% é como se estivesse usando peróxido de carbamida a mais ou menos 22%. Ficou claro?
Então baseado nisso eu só posso concluir que para concentrações diferentes, tempos diferentes. Sim, mas a clássica pergunta: Qual o melhor?
Esse questionamento vou te responder no próximo vídeo. Fica de olho e se ainda não se inscreveu, faça já para não ficar sem saber sobre essa resposta. Ah! e se você quer aprofundar sobre o assunto clareamento, quer saber tudo isso com mais detalhes e ficar ainda mais afiada ou afiado no assunto, saiba que temos um treinamento online sobre todas as técnicas de clareamento. Se você tiver interesse escreve aqui abaixo que te conto onde pode fazer sua inscrição e já começar a receber.

Gostou desse vídeo? Se te ajudou coloca um like e manda para o colega que você acha que vai gostar. Vamos compartilhar conhecimento, discutir e crescer, afinal esse é o propósito do Inspirando Dentistas. E não deixe de nos acompanhar nas nossas redes sociais, Instagram, Facebook, Podcast e Youtube. E saiba que de onde veio esse vídeo tem muito mais.

Beijo grande e te vejo no próximo.

Deixe seu Comentário