Por que os pinos de fibra de vidro soltam? – parte 3

Tempo de leitura: 3 minutos

Transcrição do vídeo

Olá eu sou Dulce Simões do Inspirando Dentistas e se você não conhece ainda o nosso projeto assine o nosso canal do youtube e nos acompanhe nas nossas redes sociais, Facebook, Instagram e conheça o nosso blog inspirandodentistas.com.br. Esse é nosso terceiro vídeo sobre cimentação de pinos de fibra de vidro,  se você ainda não viu o primeiro e o segundo, termine de assistir esse aqui e corra para assistir os outros dois pois são vários os fatores que podem levar ao insucesso desse protocolo de cimentação. Hoje eu quero perguntar se você sabia que existe uma incompatibilidade entre os sistemas adesivos simplificados e os cimentos resinosos de ativação química ou de dupla ativação. Se vc não sabia desse detalhe vale a pena ficar por aqui pois é sobre isso que vou falar.
Evidências científicas tem demonstrado que, quando sistemas adesivos simplificados são associados a cimentos de ativação química ou de dupla ativação, os cimentos duais, ocorre uma incompatibilidade desses materiais, sistema adesivo e cimento resinoso. Uma incompatibilidade química. E agora? Como é isso mesmo? 
 
Vamos por partes, calma vou explicar. Primeiro passo é entender como acontece essa incompatibilidade química. Acontece quando vc emprega na sua cimentação sistemas adesivos simplificados. Quem são esses? Os adesivos convencionais de dois passos, aqueles que tem primer e bond juntos, e adesivos auto-condicionantes passo único, os que trazem em um único frasco, ácido, primer e bond. E aí você junta esse tipo de sistema a um cimento resinoso que deve ser químico ou dual. Pois é aí que começa o problema… Esses cimentos apresentam na sua composição catalisadores que possuem aminas terciários básicas. Essas aminas terciárias básicas quando entram em contato com os sistemas adesivos simplificados que são ácidos promovem uma reação ácido-base que neutraliza, interfere na função catalisadora dessas aminas, impedindo a reação de polimerização efetiva do cimento resinoso. Se são inativadas não polimerizam de forma eficiente aí essa incompatibilidade faz com que não havendo essa união não haja retenção e os pinos possam soltar das paredes do canal radicular. E eu só quero lembrar que essa incompatibilidade serve para outras cimentações também, não só para cimentação de pinos de fibra de vidro. 
 
Mas até agora eu só mostrei o problema e a solução? Como posso resolver isso? Primeiro você pode usar sistemas adesivos que tenham a ultima camada, que é o bond separada, os convencionais de três passos e os auto-condicionantes de dois passos. Pode ainda se está usando um simplificado ao final colocar uma cobertura de adesivo hidrofóbico que é o bond sobre ele… E, o que é mais fácil para resolver todas essas questões questões da parte 1, da parte 2 e dessa parte 3 é usar para cimentação desses pinos, os cimentos auto-condicionantes. Com esses cimentos você não precisa fazer nenhum preparo dentro do canal. nada de ácido, nada de lavagem, nada de secagem ou seja nada de sistema adesivo, você vai apenas, na hora da cimentação colocar o seu cimento adesivo dentro do conduto. Usando esses cimentos resinosos auto-condicionantes você vai evitar uma maior sequência de passos clínicos.
 
Gostaram dessa dica? Curtam, compartilhem e deixem seus comentários. Se vocês não se manifestam eu penso que estou falando ao vento e fico desanimada. Então um beijo grande e até o próximo vídeo.

Deixe seu Comentário