ID#36 – Afastamento gengival

Tempo de leitura: 3 minutos

Transcrição do vídeo

Olá, eu sou Dulce Simões do Inspirando Dentistas e quero saber se você, como eu, já ficou inseguro na hora de fazer uma moldagem. E ficou triste ao remover essa moldagem e observar que o término do seu preparo não foi bem copiado. E pior do que isso. Manda para o laboratório e recebe aquela ligação, que a gente detesta, pedindo para repetir a moldagem.  Se isso já te aconteceu fique aqui que é sobre isso que vamos conversar hoje.
Essa semana fiz uma postagem sobre a colocação de fio de afastamento na hora de fazer restaurações cervicais. E nesse vídeo vou continuar falando sobre afastamento gengival, agora no momento de preparo, moldagem e cimentação. 
Vamos por partes. Qual a importância de fazer esse afastamento na hora em que você está fazendo seu preparo? É super importante para facilitar a visualização desse término, lembrando sempre que os preparos de preferência deve ser supra gengivais o que vai facilitar todos os passos além de facilitar a higienização futura da região. Além disso com o fio você evita ou pelo menos previne a laceração acidental do tecido gengival. Nesse momento do preparo use o fio seco, sem impregnação de nada.
E na hora da moldagem? Esse eu acho que todo mundo já sabe, mas não custa nada lembrar. O afastamento gengival nesse monte serve para criar um espaço vazio horizontal e e outro vertical entre o dente e o sulco gengival. Pra que esse espaço vazio? Para que o material de moldagem possa entrar uniformemente nesse espaço, evitando que aconteçam distorções e até fraturas do material de moldagem, além de expor a porção apical além do limite do término, o que vai fazer com seu material de moldagem copie muito bem essa região o que vai facilitar a vida do seu protético pois facilita a troquelização dos modelos.  Mas cuidado! Nada de causar traumas, te que respeitar o espaço biológico. Não dá para moldar se a gengiva não estiver saudável.  Não esqueça que a invasão desse espaço pode causar danos irreversíveis como retrações gengivais e ósseas não controladas. Aqui esse afastamento pode ser feito com um fio ou dois fios. Essas duas técnicas vou falar em um outro vídeo. E geralmente é um afastamento químico-mecânico, ou seja, mecânico pelo fio e químico pelas substâncias vasoconstritoras e/ou adstringentes.
E finalmente, usamos o fio no momento da cimentação, se o preparo é ao nível ou intra sulcular e você está cimentando sem isolamento absoluto. Aqui também usamos só o fio seco. Isso faz com que sua cimentação aconteça sem fluidos, e seja muito mais fácil remover excessos que sempre teimam em ficar escondidos no sulco.
Se esse vídeo de hoje fez sentido para você coloca um like e se ainda não baixou os nossos e-books, vai na nossa pagina, inspirandodentistas.com.br e baixa gratuitamente. Um beijo grande e até o nosso próximo encontro.

Deixe seu Comentário